Modo de embalar ou armazenar alimentos pode aumentar o risco de doenças

Veja algumas dicas para preveni-las e manter-se saudável.

A coisa mais comum de se fazer no dia a dia é guardar as sobras de alguma refeição para ser consumida depois, certo? Pois saiba que até mesmo nessa simples atitude, mora o perigo.

A forma como os alimentos são armazenados pode acarretar muitas doenças como câncer, Alzheimer e até mesmo pressão alta. Veja abaixo algumas alternativas para manter sua cozinha saudável:

Alumínio
De acordo com a Oranização Mundial de Saúde (OMS), a dose semanal admissível do metal, seria de 1 miligrama para cada quilo da pessoa. Alguns estudos apontam que o consumo excessivo desse metal está associado a casos de demência. Uma simples carne assada no forno, com alumínio, pode aumentar a concentração do metal em até 378%. E os temperos ácidos ou apimentados no preparo, é capaz de dobrar esses números.

Potes plásticos
Neste caso, as substâncias vilãs são o ftalato e o bisfenol A (BPA). O segundo foi até proibido no Brasil em 2012, nas mamadeiras e outros utensílios para lactantes. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), alguns estudos sugerem que o BPA pode causar câncer e problemas hormonais e cardíacos nas crianças. Já os ftalatos, usados para deixar o plástico maleável, foram relacionados a nascimentos prematuros em um estudo realizado pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos.

Panelas antiaderentes
Podem ser muito práticas, mas liberam componentes que podem ser perigosos para a saúde. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o ácido perfluorooctanóico (PFOA), um dos compostos tóxicos liberados pelo antiaderente, é classificado como um possível agente carcinogênico para humanos. Há ainda outras consequências que estão sob estudo, tais como intoxicação no fígado e no sistema imunológico.

Qual o jeito mais seguro de cozinhar e embalar os alimentos?
O mais recomendável é o uso das panelas de ferro, que liberam um ferro benéfico para o nosso organismo, segundo pesquisadores da Unicamp. As de inox também são uma boa opção, mas fique atento: se ela tiver níquel em sua composição de liga metálica, caia fora, pois ele é tóxico. As de vidro, apesar de menos práticas, são mais seguras.

Já em relação ao armazenamento, recomenda-se acondicionar os alimentos em potes de vidro, cerâmica ou porcelana. E sempre aquecê-los fora de embalagens plásticas.