Direcione parte do seu imposto para ações que fazem a diferença

As leis de incentivo começaram a surgir no Brasil há anos. A Lei Federal de Incentivo à Cultura (Rouanet) é de 1991, por exemplo, e a Lei de Incentivo ao Esporte foi criada em 2006. Ainda assim, muitos desconhecem o fato de que empresas e pessoas físicas podem destinar uma parte dos impostos que teriam que pagar ao governo para projetos de diversas áreas. Ou seja, uma parte do imposto se transforma em investimento para a cultura, para o esporte, saúde e para o desenvolvimento social.

Especialmente para as empresas, o incentivo fiscal se torna interessante. Afinal, com esse recurso, ela poderá realizar ou incentivar programas sociais sem mexer diretamente no caixa da companhia. Ao deduzir o valor dos impostos para apoiar um projeto, a empresa reforça seu posicionamento sustentável e sua preocupação com a comunidade onde está inserida. Mas o principal benefício é praticamente imensurável: o de colaborar com a construção de uma sociedade mais igualitária e saudável.

As empresas também podem fazer doações diretas para entidades sem fins lucrativos qualificadas como Organização da Sociedade Civil de Interesse Publico (Oscips) ou que possuam o título de Utilidade Pública Federal (UPF), desde que elas ofereçam à população serviços gratuitos.

Os projetos que buscam apoio precisam estar aprovados pelas leis de incentivo. Funciona dessa forma: o proponente apresenta a proposta ao órgão governamental responsável e, caso aprovado, é autorizado a captar recursos junto às pessoas físicas ou empresas para a realização ou expansão daquela atividade.

Conhecer as maneiras de destinar apoio, consultar as legislações vigentes e compreender como elas funcionam são os primeiros passos para um incentivo social de sucesso (confira a lista no final da matéria). As organizações podem inclusive priorizar e optar por apoiar os projetos mais alinhados às diretrizes internas. Com o tempo, a tendência é a empresa amadurecer e profissionalizar o processo interno de repasse de investimentos. Algumas delas, preocupadas com a gestão e acompanhamento dos projetos que apoiam, criam institutos e fundações independentes focadas nesse trabalho.

Ao utilizar os recursos do imposto de renda para apoiar projetos de cultura, esporte e saúde, a empresa está investindo no futuro da sociedade da qual faz parte. Apoiar esses projetos é uma maneira da própria organização promover a cultura da sustentabilidade e, acima de tudo, ser corresponsável pelo desenvolvimento social, ambiental e econômico daquela região, fazendo com que centenas – às vezes milhares – de pessoas, de uma ou de mais comunidades, sejam beneficiadas com o projeto apoiado.

0005_01_A_tabela_IE