Cinco realidades que mudam completamente com acesso ao esgoto coletado e tratado

Ele está previsto na lei brasileira (nº 11.445/07), atribui responsabilidades aos três níveis de governo – municipal, estadual e federal – e é um direito humano essencial reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU). Ainda assim, o acesso ao saneamento básico não é a realidade para mais de 2,5 bilhões de pessoas no mundo todo, que vivem sem acesso a banheiros e sistema de esgoto adequado. Esses ainda são um dos maiores problemas que atingem de grandes centros urbanos e capitais brasileiras a pequenos municípios. No Brasil, mais de 100 milhões de pessoas são afetadas pela falta de saneamento, de acordo com o Instituto Trata Brasil.

O setor, de forma geral, não acompanhou a evolução de outros serviços, como a iluminação pública, por exemplo, e a telecomunicação, que cresce acelerada. O número de usuários de internet mais que triplicou em uma década, chegando a 3,2 bilhões no final do ano passado (mais de 40% da população mundial), segundo o relatório “Dividendos Digitais” do Banco Mundial. As famílias mais pobres do mundo têm uma tendência maior a terem telefones celulares do que condições sanitárias adequadas, incluindo banheiros e água limpa em casa.

Para chamar a atenção para o assunto, a ONU declarou o acesso à coleta e ao tratamento de esgoto um direito humano “específico”, distinto do direito à água potável. Ou seja, os dois são indispensáveis e um não substitui o outro. Jamais um país poderá ser considerado desenvolvido de verdade se não conseguir levar água tratada a toda população e também criar um sistema adequado para coleta e tratamento das águas impuras. O esgoto não some magicamente ao acionar a descarga e não se dilui no meio ambiente. É preciso ter redes de coleta e estações de tratamento.

Sem saneamento, a sua vida é afetada de uma forma tão grande e de maneiras que muitas vezes nem percebemos ou conseguimos imaginar. Confira abaixo uma lista de cinco realidades que mudam com o acesso ao saneamento básico, principalmente cobertura de rede de esgoto.

 

1 – Você com mais dignidade

Já pensou nisso? A falta de saneamento afeta diretamente a dignidade do cidadão. E dignidade, aqui, entenda-se como amor próprio, integridade, autoestima, o sentimento de satisfação. Se você tem água tratada e esgoto coletado na sua residência, tente imaginar-se acordando em uma manhã qualquer e não ter a chance de tomar banho, escovar os dentes, fazer café ou lavar a louça com água limpa. Imagine, ao sair de casa, ter que “pular” uma vala de esgoto bem em frente a sua casa. Sem contar o mal cheiro, os insetos e todo o incomodo que isso causa… Imagine ir a escola ou ao trabalho e conviver diariamente com essas dificuldades. A carência de instalações sanitárias e banheiros adequados é uma situação ainda mais constrangedora para as mulheres. A ONU relata que o assédio e os riscos de estupros a mulheres e meninas aumentam, uma vez que precisam usar banheiros extremamente improvisados, compartilhados e sem qualquer privacidade.

foto4

2 – É um dos pilares da preservação ao meio ambiente

Os serviços de saneamento básico têm influência direta na conservação do meio ambiente. Quando existem despejos irregulares, os rios e cursos d’água da região acabam contaminados. Assim, as fontes confiáveis e seguras dão espaço a mananciais poluídos. O ecossistema aquático e toda a biodiversidade que compõe aquela região sofrem e diminuem.

foto1

3 – Acaba com parte dos problemas de saúde pela raiz

É automático: ao falar em investir em saúde, pensamos logo em hospitais, postos, mais médicos e medicamentos. Sim, isso é necessário, mas seria muito melhor que não precisássemos recorrer a eles. Parte de problemas de saúde muito comuns pode ser resolvidos em sua origem – nesse sentido, morar em um local saneado reduz grande parte das ameaças. E é grande parte mesmo! Na lista de doenças de veiculação hídrica temos cólera, febre tifoide, hepatite A, toxoplasmose, leptospirose, esquistossomose e muitas outras. E se não beber água contaminada, estaríamos livres disso? Não! A transmissão pode ocorrer no contato com a pele durante o banho, ao aspirar germes presentes na água ou mesmo ingerindo alimentos lavados com água não tratada. Um ambiente sem saneamento é um ambiente insalubre e perigoso.

foto3

4 – Trabalhadores e alunos são mais produtivos

Queda na produtividade, dificuldade no aprendizado. Sem instalações e serviços básicos, a transmissão de doenças aumenta, o número de consultas e internações também. Consequentemente, trabalhadores se afastam das atividades e estudantes se ausentam das escolas. Os dados a seguir são de 2012, mas ainda valem como referência: o Instituto Trata Brasil apontou que 300 mil funcionários faltaram do trabalho devido a problemas gastrointestinais e perderam 900 mil dias de atividade.

foto5

5 – Sua casa vale mais

As regiões com residências já conectadas à rede de água e esgoto são mais valorizadas. Isso porque o saneamento está diretamente relacionado à melhoria da qualidade de vida das famílias, levando em consideração tudo o que já listamos aqui em cima.

foto2